Arquivos de Televisão

Afora em­ba­tes po­lí­ti­cos e econô­mi­cos (aos quais não me ape­ga­rei aqui), o epi­só­dio en­tre a em­pre­sá­ria Luiza He­lena Tra­jano e o es­cri­tor Di­ogo Mai­nardi, no Ma­nhat­tan Con­nec­tion, mar­tela um prego en­fer­ru­jado que só faz ar­rui­nar o couro do jor­na­lismo ao ex­por bru­tal­mente de­sin­for­ma­ção e ar­ro­gân­cia.
Leia mais

Compartilhe

Impressões

Chico, o maior de todos

sexta-feira, 23 de março de 2012 Texto de

Di­zem que quando va­mos fi­cando ve­lhos, gos­ta­mos de nos ape­gar a coi­sas do pas­sado, aos ecos de nossa vida. Acho que es­tou fi­cando ve­lho. Sem­pre que posso me di­virto com a “Es­co­li­nha do Pro­fes­sor Rai­mundo”. Passa no ca­nal Viva.
Leia mais

Compartilhe

Impressões

O jornalismo na nossa sala

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 Texto de

As emis­so­ras de te­le­vi­são con­ti­nuam in­ten­si­fi­cando a ma­neira in­for­mal de le­var as no­tí­cias à nossa casa. Os apre­sen­ta­do­res, cada dia mais pró­xi­mos do pú­blico, quase não fa­zem mais os ve­lhos re­la­tos sob a so­no­ri­dade de vo­zes gra­ves e im­pos­ta­das. Já faz um tempo, eles agora con­ver­sam como se fos­sem in­ter­lo­cu­to­res pre­sen­tes bem ao nosso lado, na sala onde fica o apa­re­lho.
Leia mais

Compartilhe

Contos

Questão glútea

segunda-feira, 25 de julho de 2011 Texto de

Nem mesmo as duas li­ga­ções te­lefô­ni­cas aten­di­das si­mul­ta­ne­a­mente fo­ram su­fi­ci­en­tes para impedir-me o es­panto e logo, a cu­ri­o­si­dade. Dona Hen­rica ha­via mar­cado a con­sulta ju­rí­dica há dois dias, li­gara na vés­pera e na­quela ma­nhã tam­bém, an­tes de dirigir-se ao es­cri­tó­rio onde ad­vogo. Ha­via uma ex­trema an­si­e­dade em seu rosto quando a se­cre­tá­ria, des­cum­prindo uma or­dem ex­pressa de mi­nha parte, enfiou-a su­bi­ta­mente sala aden­tro. Mi­nha sur­presa, en­tre­tanto, não re­si­diu em sua ex­pres­são, mas na parte do corpo que se­para as cos­tas das per­nas, ou seja, a re­gião glú­tea.
Leia mais

Compartilhe

Impressões

Clint Eastwood e Silvio Santos

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011 Texto de

O ator e di­re­tor Clint Eastwood

O apre­sen­ta­dor e em­pre­sá­rio Sil­vio San­tos

Pu­tas que os pa­ri­ram. Com o de­vido res­peito, claro. Eu te­nho um grande amigo, so­bre o qual já es­crevi em ou­tras pá­gi­nas deste blog. O nome dele é Déco. Meu pri­meiro e grande pro­fes­sor de jor­na­lismo. Ele me di­zia as­sim, em meio às nos­sas noi­ta­das etílico-intelectuais: “ABC, você é um grande fi­lho da puta, mas isso é de ver­dade, um fi­lho da puta mesmo”. Eu olhava para ele meio sem en­ten­der. E ele com­ple­tava: “É isso mesmo. Sua mãe é a puta do Nene Cava” (Nene Cava é meu pai). E com­ple­tava mais: “Per­cebe como puta às ve­zes é uma coisa ma­ra­vi­lhosa?”. Déco, meu grande amigo fi­ló­sofo. Que sau­da­des! É pen­sando nele que digo, a res­peito de Clint e Sil­vio: “Pu­tas que os pa­ri­ram”. Com o maior res­peito.
Leia mais

Compartilhe

Impressões

O Brasil de Rolando Boldrin

quinta-feira, 28 de outubro de 2010 Texto de


Eu sem­pre gos­tei do Ro­lando Bol­drin. Quem lê meu blog ou quem me co­nhece há al­gum tempo sabe da mi­nha ori­gem, uma ori­gem ru­ral, uma ori­gem que se junta a tan­tas ou­tras deste Bra­sil agreste. Nós, que vi­e­mos do campo, car­re­ga­mos uma sina que às ve­zes nos con­forta e em ou­tras nos abor­rece: gos­ta­mos do su­jeito (ou não gos­ta­mos) logo de cara. Não sei o que é. Tal­vez seja um co­nhe­ci­mento ime­mo­rial ou, quem sabe, uma des­sas mui­tas bo­ba­gens nas quais nós con­fi­a­mos como se fosse uma lei ina­ba­lá­vel.
Leia mais

Compartilhe

Impressões

Menas, menas

sexta-feira, 25 de junho de 2010 Texto de

É cu­ri­oso, e quase en­gra­çado, ver a farra que se faz na in­ter­net (prin­ci­pal­mente no Twit­ter) com base numa força que não existe. Sim­ples­mente não existe. Con­si­de­rar que o Twit­ter é uma fer­ra­menta de­ci­siva para mu­dar há­bi­tos ou de­fi­nir a pos­tura da opi­nião pú­blica é, no mí­nimo, um exa­gero.
Leia mais

Compartilhe

Impressões

É isso!

domingo, 20 de junho de 2010 Texto de

A tor­cida bra­si­leira (como di­ria o maior lo­cu­tor es­por­tivo que o Bra­sil já teve – Fi­ori Gi­gli­otti) quer isso. Nada mais. Quer ver a se­le­ção jo­gando fu­te­bol, com to­que, com classe, com raça. A vi­tó­ria do Bra­sil por 3 a 1 so­bre a Costa do Mar­fim, a des­peito de toda a me­leca da ar­bi­tra­gem, foi o me­lhor jogo da Copa até aqui. E mos­trou, en­fim, que nossa se­le­ção é – agora no campo e não ape­nas na fama – um sé­rio can­di­dato ao tí­tulo.
Leia mais

Compartilhe

Impressões

Futebol e televisão

quinta-feira, 6 de maio de 2010 Texto de

Fu­te­bol 1

Qual será a maior vi­bra­ção no fu­te­bol: quando seu time ga­nha ou quando seu maior ri­val perde? Pa­rece sim­ples res­pon­der que, claro, quando seu time ga­nha. Mas será? Será que lá no fundo, ao ver a de­si­lu­são do “ini­migo”, nossa por­ção sá­dica não aflora de modo a sobrepor-se à ale­gria da vi­tó­ria? É uma ques­tão a se pen­sar.
Leia mais

Compartilhe

Crônicas

Sinais de alerta

terça-feira, 13 de abril de 2010 Texto de

Uma das prin­ci­pais ca­rac­te­rís­ti­cas da so­ci­e­dade atual é a sede de ori­en­ta­ção, mas não uma ori­en­ta­ção que a faça se sen­tir pre­pa­rada para es­co­lher um ca­mi­nho. As pes­soas hoje que­rem o ro­teiro pronto. Por onde devo se­guir? Até onde? Qual o me­lhor meio para che­gar lá? Quando che­gar lá, o que devo fa­zer?
Leia mais

Compartilhe