Impressões

O Brasil de Rolando Boldrin

quinta-feira, 28 de outubro de 2010 Texto de


Eu sem­pre gos­tei do Ro­lan­do Bol­drin. Quem lê meu blog ou quem me co­nhe­ce há al­gum tem­po sa­be da mi­nha ori­gem, uma ori­gem ru­ral, uma ori­gem que se jun­ta a tan­tas ou­tras des­te Bra­sil agres­te. Nós, que vi­e­mos do cam­po, car­re­ga­mos uma si­na que às ve­zes nos con­for­ta e em ou­tras nos abor­re­ce: gos­ta­mos do su­jei­to (ou não gos­ta­mos) lo­go de ca­ra. Não sei o que é. Tal­vez se­ja um co­nhe­ci­men­to ime­mo­ri­al ou, quem sa­be, uma des­sas mui­tas bo­ba­gens nas quais nós con­fi­a­mos co­mo se fos­se uma lei ina­ba­lá­vel.

O Ro­lan­do Bol­drin é um des­ses ca­ras que, den­tro des­sa vi­são in­cer­ta que in­ter­fe­re em nos­sas im­pres­sões e em nos­sas con­vic­ções, pa­re­ce ser cor­re­to, ín­te­gro, con­fiá­vel. Lem­bra um tio ca­ri­nho­so que nos sen­ta­va ao seu la­do e nos con­ta­va uma his­tó­ria bo­ni­ta. De ca­chor­ros he­róis. De es­tre­las bri­lhan­tes. Ou as­sus­ta­do­ra. Uma his­tó­ria de ter­rí­veis on­ças. De as­som­bra­ções.

Até ho­je, quan­do pos­so, ve­jo o pro­gra­ma de­le na TV Cul­tu­ra (ago­ra é às quin­tas). A va­lo­ri­za­ção da mú­si­ca e dos cos­tu­mes des­te Bra­sil afo­ra en­con­tra no pro­gra­ma “Sr. Bra­sil” um es­pa­ço in­co­mum, um es­pa­ço ge­ne­ro­so pa­ra mú­si­cos pre­te­ri­dos pe­lo show de ba­na­li­da­des que in­fes­ta a te­le­vi­são bra­si­lei­ra.

Acho “Vi­de Vi­da Mar­va­da” um dos gran­des clás­si­cos da nos­sa mú­si­ca. On­tem, vas­cu­lhan­do nes­sas ban­qui­nhas de pos­tos de bei­ra de es­tra­da, achei um CD de­le. E com­prei. Abai­xo, um ví­deo com a com­po­si­ção. Ro­lan­do Bol­drin can­tan­do ao vi­vo.

Compartilhe