Eu mesmo

Olá, pa­ra quem qui­ser sa­ber um pou­co do que eu já fiz nes­ta vi­da de jor­na­lis­ta e es­cri­tor, aqui es­tá:

1982 – Aos 17 anos, pas­so no ves­ti­bu­lar e en­tro pa­ra a fa­cul­da­de de jor­na­lis­mo, na Fun­da­ção Edu­ca­ci­o­nal de Bau­ru, mais tar­de Unesp. Nes­te mes­mo ano, co­me­ço a pu­bli­car tex­tos no Jor­nal de Ca­fe­lân­dia, se­ma­ná­rio da ci­da­de on­de nas­ci, en­tão sob a di­re­ção de Jo­sé An­to­nio da Sil­va, o Dé­co.
1984 - Sér­gio Ben­to e eu inau­gu­ra­mos O Fo­lhe­to, um jor­nal se­ma­nal que ro­dá­va­mos em má­qui­na da Xe­rox. Tam­bém em Ca­fe­lân­dia.
1986 – Re­ce­bo o di­plo­ma de jor­na­lis­mo das mãos de Car­los Nas­ci­men­to.
1987 – De­pois de fe­char­mos O Fo­lhe­to em ra­zão de di­fi­cul­da­des fi­nan­cei­ras, en­tro pa­ra o Diá­rio de Bau­ru, di­ri­gi­do por Edu­ar­do Nas­ral­la, a quem fui apre­sen­ta­do por Di­no Mag­no­ni.
No mes­mo ano, en­tro pa­ra a as­ses­so­ria de co­mu­ni­ca­ção da Uni­ver­si­da­de do Sa­gra­do Co­ra­ção.
1988 – Vou pa­ra Pre­si­den­te Pru­den­te, on­de as­su­mo a se­cre­ta­ria de re­da­ção do jor­nal O Im­par­ci­al. O jor­nal era co­man­da­do por Ma­rio Pe­ret­ti, Adel­mo Va­nal­li e De­o­da­to da Sil­va. O pró­prio Nas­ral­la me in­di­cou pa­ra o Ben­ja­min, jor­na­lis­ta que tra­ba­lha­va em Pru­den­te e me le­vou pa­ra O Im­par­ci­al.
Mas mi­nha pas­sa­gem pe­lo O Im­par­ci­al foi cur­ta. No mes­mo ano, as­su­mi a as­ses­so­ria de im­pren­sa do PMDB pa­ra as elei­ções mu­ni­ci­pais da­que­le mes­mo ano. O can­di­da­to foi der­ro­ta­do e eu dei­xei Pru­den­te.
1989 – Con­vi­da­do por Mo­a­cir Ama­ral, acei­to a che­fia de jor­na­lis­mo da Lins Rá­dio Clu­be, on­de fi­co até o ano se­guin­te.
1990 – Vol­to a Bau­ru, no­va­men­te pe­las mãos de Di­no Mag­no­ni. Lou­ri­val Mag­no­ni e eu cri­a­mos a Pá­gi­na Um, agên­cia de as­ses­so­ria de co­mu­ni­ca­ção que pas­sou a aten­der as­so­ci­a­ções de cri­a­do­res do ca­va­lo quar­to de mi­lha.
No mes­mo ano, co­me­ço a tra­ba­lhar pa­ra a re­vis­ta Ve­ja. Na épo­ca, sem­pre com um re­pór­ter fo­to­grá­fi­co (Luiz Au­gus­to Teixeira/Angelo Perosa/Quioshi Go­to), eu era res­pon­sá­vel por co­brir to­da a re­gião do oes­te pau­lis­ta, prin­ci­pal­men­te com re­por­ta­gens pa­ra a Ve­ja In­te­ri­or. Fi­quei até 1993, quan­do já tí­nha­mos fe­cha­do tam­bém a Pá­gi­na Um.
1993 – Tra­ba­lho na TV Man­che­te (TV FR), em Bau­ru, no pro­gra­ma FR De­ba­te, co­man­da­do pe­lo Jair Acei­tu­no e de­pois pe­lo Fred Cal­mon.
Tam­bém nes­te ano, co­me­ço a atu­ar na Tho­mas & As­so­ci­a­dos, agên­cia do Tom Frei­tas.
1994 – En­tro pa­ra o Diá­rio de Bau­ru, en­tão já sob o co­man­do do Du­da Tre­vi­za­ni. Pau­lo Tor­res e eu co­or­de­na­mos a re­no­va­ção do jor­nal, que se­ria ex­tin­to no ano 2000.
1996 – Co­me­ço a nar­rar jo­gos de bas­que­te e vô­lei pa­ra a TV Pre­ve, a con­vi­te de Sa­mu­el Fer­ro.
2000 – A con­vi­te do en­tão edi­tor-che­fe, Mar­cos Pi­za­no, vou pa­ra a Glo­bo (TV Mo­de­lo), em Bau­ru. Pou­co tem­po de­pois, com a che­ga­da de Os­mar Chor, as­su­mo a edi­ção do Por­tal Imo­de­lo. Fi­co na TV até 2003, quan­do a emis­so­ra mu­da de di­re­ção e pas­sa a ser a atu­al TV TEM. Nos anos se­guin­tes, até 2015, per­ma­ne­ço na TV TEM co­mo co­men­ta­ris­ta.
2002 – Sai meu pri­mei­ro ro­man­ce: Pa­ra­ba­la.
2003 e 2004 – Dou au­las de jor­na­lis­mo na Unesp e no Ins­ti­tu­to Mu­ni­ci­pal de En­si­no Su­pe­ri­or de Ca­tan­du­va.
2005 – Par­ti­ci­po da fun­da­ção da Re­de BOM DIA de Jor­nais. Ini­ci­al­men­te, sou edi­tor-che­fe em Bau­ru, até 2008, quan­do as­su­mo a di­re­ção de jor­na­lis­mo da re­de no lu­gar de Ma­ti­nas Su­zu­ki Jr., a con­vi­te de­le mes­mo.
2010 – Sai meu se­gun­do ro­man­ce: Des­ru­mo.
2011 – Sou de­mi­ti­do por te­le­fo­ne da Re­de BOM DIA de Jor­nais.
2012 – Gil­mar Di­as e eu cri­a­mos a Jun­tos, agên­cia de co­mu­ni­ca­ção, e pas­sa­mos a aten­der cli­en­tes na re­gião de Bau­ru.
2012 – Sai meu ter­cei­ro ro­man­ce: Pa­ter.
2014 – Sai meu quar­to ro­man­ce: Na pe­le dos me­ni­nos.
2015 – Jo­si Vi­cen­tin me in­di­ca pa­ra as­su­mir a co­or­de­na­ção da Blue PR, agên­cia de re­la­ções pú­bli­cas com se­de em São Pau­lo, on­de es­tou até ho­je.
2018 – Sai meu quin­to ro­man­ce: Es­ta­do Bru­to.