Colaboradores

silêncio

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 Texto de


fez ques­tão de des­li­gar tu­do.
tv, som, com­pu­ta­dor, te­le­fo­ne, mi­cro­on­das.
ti­rou até as pi­lhas do an­ti­go disck­man cin­za – vai que o apa­re­lho, ve­lho ga­gá, sol­tas­se uma no­ta ou ou­tra...
fo­nes de ou­vi­dos es­con­di­dos em mei­as, es­pa­lha­das em ga­ve­tas.
que­ria si­lên­cio.
Leia mais

Compartilhe

Colaboradores

medo

sábado, 11 de setembro de 2010 Texto de

sa­be um ca­ra fo­dão? es­te é o me­do.

sem­pre fez su­ces­so com as mu­lhe­res. na­mo­rou a con­fi­an­ça, foi ca­paz de dar um fo­ra na ale­gria (ca­ra, quem em sã cons­ci­ên­cia dis­pen­sa­ria a ale­gria?) e di­zem por aí que ele co­meu a co­ra­gem de jei­to - ela não te­ve tem­po nem de ti­rar o sal­to al­to...
Leia mais

Compartilhe

Colaboradores

outrora

domingo, 16 de maio de 2010 Texto de

e, de re­pen­te, os olhos se cru­zam.
não ti­nha no­ta­do co­mo ele ti­nha en­ve­lhe­ci­do.
mas não era pe­los ca­be­los bran­cos - pou­cos, mas já vi­sí­veis, mos­tran­do que, sim, o
tem­po pas­sa.
es­ta­va no olhar.
opa­co. in­fe­liz. can­sa­do.
Leia mais

Compartilhe

Colaboradores

achados e perdidos (incompleto)

domingo, 18 de abril de 2010 Texto de

um ma­ca­cão azul des­bo­ta­do, um bal­cão, um sor­ri­so.
es­pe­ran­ça é as­sim.
há 35 anos.
se­gun­da a sex­ta, ho­rá­rio co­mer­ci­al. sá­ba­do, até 13h.
tra­ba­lha no acha­dos e per­di­dos.
co­nhe­ce tu­do o que es­tá lá den­tro.
Leia mais

Compartilhe

Colaboradores

sentimento - Texto de Thiago Roque

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010 Texto de

an­da­va dis­traí­da, sob o ca­lor mo­de­ra­do da es­ta­ção, ape­nas pa­ra ma­tar o tem­po.
saiu de ca­sa sem ru­mo, sem ho­ri­zon­te, sem des­ti­no.
ape­nas an­dar. um pas­so após o ou­tro, o ou­tro após o um.
mp3 em vo­lu­me 30, fi­o­na ap­ple in con­cert.
Leia mais

Compartilhe

Colaboradores

ela e o quarto - Texto de Thiago Roque

terça-feira, 3 de novembro de 2009 Texto de

re­pou­sa na ca­ma os pla­nos que ti­nha pa­ra o mun­do lá fo­ra.
mun­do feio...
o vi­nil re­pou­sa na vi­tro­la-he­ran­ça, de­se­jan­do ser usa­do, nem que for por uma noi­te.
por uma can­ção.
mas ho­je é quin­ta-fei­ra. en­tão, des­pre­zo é o que ga­nha.
é o que to­dos ga­nham no fi­nal. ou no co­me­ço.
Leia mais

Compartilhe

Colaboradores

biográfico - Texto de Thiago Roque

quarta-feira, 14 de outubro de 2009 Texto de

a me­mó­ria fez ques­tão de es­que­cer os pri­mei­ros anos.
aque­la coi­sa da pri­mei­ra pa­la­vra, da pri­mei­ra vez em pé, do pri­mei­ro den­te, sa­be?
pra ele, nun­ca exis­tiu.
sua pri­mei­ra lem­bran­ça é um dia de chu­va. o chi­ne­lo in­do em­bo­ra com a cor­ren­te­za que la­va­va o meio-fio.
sua pri­mei­ra per­da.
sua pri­mei­ra bron­ca tam­bém.
até sen­tia fal­ta das bron­cas...
Leia mais

Compartilhe

Colaboradores

um texto feliz - Texto de Thiago Roque

sexta-feira, 8 de maio de 2009 Texto de

era um do­min­go de sol.
ele es­ta­va in­de­fec­tí­vel num con­jun­to azul-me­ni­no, tê­nis bran­co e um bo­né que lhe con­fe­ria um cer­to ar de ma­lan­dra­gem-ca­ri­o­ca-boê­mia – nem tan­to a ma­da­me sa­tã, nem tan­to a mar­ce­lo d2.
já ela, cor-de-ro­sa no ves­ti­do, ti­a­ra de prin­ce­sa, san­dá­lia fe­cha­di­nha pa­ra po­der cor­rer à von­ta­de. fashi­on. coi­sa de pas­sa­re­la.
o par­que era gran­de, com mui­to ver­de, com mui­ta gen­te.
mui­to... coi­sa que não se me­de.
Leia mais

Compartilhe

Colaboradores

só - Texto de Thiago Roque

quinta-feira, 23 de abril de 2009 Texto de

a ta­ça jaz em ci­ma da pia, guar­dan­do um res­to de vi­nho aban­do­na­do.
vi­ra­da do aves­so, num can­to, de cas­ti­go, a lem­bran­ça es­tá em­bur­ra­da.
sa­be aque­la ca­ra de “eu não fiz na­da”?
fal­ta ape­nas ajo­e­lhar no mi­lho.
os te­le­fo­nes do dis­que-al­gu­ma coi­sa não aten­dem.
os cds da fi­o­na ap­ple se can­sam de ro­dar.
Leia mais

Compartilhe

Colaboradores

feira - Texto de Thiago Roque

terça-feira, 31 de março de 2009 Texto de

po­de che­gar, fre­gue­sia. te­nha me­do, não.
meu no­me é so­cor­ro, mas to­do mun­do me cha­ma de do­na so­cor­ro.
por­que eu sou mu­lher de dá res­pei­to e ser res­pei­ta­da, viu?
es­sa aqui é a bar­ra­qui­nha da do­na so­cor­ro. aqui, tem de tu­do.
de tu­do mes­mo. é fa­mo­sa por cau­sa dis­so.
e ga­ran­to pro­cês o pre­ço mais ba­ra­to da ci­da­de.
Leia mais

Compartilhe