Campanha de apoio ao deputado federal Protógenes Queiroz (PC do B) | Márcio ABC

No in­tui­to de co­la­bo­rar com a cru­za­da de Vos­sa Ex­ce­lên­cia con­tra o ur­si­nho Ted, aqui vão 11 di­cas pa­ra li­vrar­mos nos­sas cri­an­ças do mal. Amém.

1) Proi­bir o plan­tio de man­guei­ras. Elas in­ci­tam as cri­an­ças a mis­tu­rar a fru­ta com lei­te. E is­so po­de ser fa­tal.
Man­dar cor­tar as ár­vo­res exis­ten­tes em to­do o ter­ri­tó­rio na­ci­o­nal.
Usar a ma­dei­ra na pro­du­ção de tá­bu­as pa­ra ba­ter três ve­zes.

2) Proi­bir a fa­bri­ca­ção de bi­ci­cle­tas. Elas po­dem “dar ba­ra­to” nas re­giões bai­xas das cri­an­ças.
Man­dar as ma­gre­las já exis­ten­tes pa­ra os de­pó­si­tos de su­ca­ta.
Usar o fer­ro na pro­du­ção de pre­gos pa­ra chu­par.

3) Proi­bir jo­gos de fu­te­bol. O es­por­te in­cen­ti­va o chu­te às bo­las. E is­so tam­bém po­de ser fa­tal.
Man­dar re­co­lher to­das as bo­las do mer­ca­do.
Usar o cou­ro pa­ra pro­du­zir ba­con. E o plás­ti­co, pa­ra lín­gua de so­gra.

4) Proi­bir as es­co­las. Por que lá há li­vros de Mon­tei­ro Lo­ba­to. E is­so es­ti­mu­la a dis­cri­mi­na­ção ra­ci­al.
Man­dar re­co­lher os li­vros das bi­bli­o­te­cas es­co­la­res.
Usar os exem­pla­res pa­ra fa­zer pa­pel de bo­bo.

5) Proi­bir a ami­za­de en­tre cri­an­ças. Ela es­ti­mu­la sa­ca­na­gens, tra­pa­ças e até cri­mes.
Man­dar pren­der quem in­sis­tir na prá­ti­ca.
Ate­nu­ar a pe­na pa­ra vo­lun­tá­ri­os que fo­rem ao Con­gres­so Na­ci­o­nal ex­por su­as ex­pe­ri­ên­ci­as ma­lé­fi­cas em pro­je­tos de au­to-aju­da pa­ra os par­la­men­ta­res.

6) Proi­bir o uso de ócu­los em me­no­res de 16 anos. Eles po­dem dis­tor­cer as ima­gens.
Re­co­lher as len­tes em uso ou em es­to­que.
Usá-las ape­nas pa­ra quei­mar in­se­tos em di­as de sol.

7) Proi­bir o con­su­mo de ce­nou­ras, pe­pi­nos, ba­na­nas, man­di­o­cas e afins. São ali­men­tos que in­cen­ti­vam a prá­ti­ca do se­xo e, em con­sequên­cia, das dro­gas e do rock’n’roll.
Man­dar cor­tar to­das as plan­tas.
Usar pa­ra fa­zer plan­ta do pé.

8) Proi­bir “Os Tra­pa­lhões”, “Maz­za­ro­pi” e “Os Três Pa­te­tas”. Eles fa­zem rir e as cri­an­ças po­dem, ir­re­me­di­a­vel­men­te, mor­rer de rir.
Re­co­lher to­dos os ro­los de fil­mes.
En­vi­ar pa­ra que os de­pu­ta­dos pos­sam ao me­nos fa­zer ro­los com gra­ça.

9) Proi­bir a gra­vi­dez em mu­lhe­res bra­si­lei­ras. O es­ta­do in­ci­ta ao de­sen­vol­vi­men­to de cri­an­ças e to­das as su­as en­cren­cas, co­mo en­trar com 11 anos em fil­mes re­co­men­da­dos pa­ra 16.
Au­to­ri­zar o abor­to pa­ra quem de­so­be­de­cer à lei.
Apro­vei­tar a me­di­da pa­ra ti­rar a bar­ri­ga da mi­sé­ria.

10) Proi­bir a cir­cu­la­ção de cri­an­ças nas ru­as. O ato es­ti­mu­la uma pos­sí­vel evo­lu­ção da hu­ma­ni­da­de.
Ati­rar e de­pois per­gun­tar quem é nos ca­sos de des­cum­pri­men­to da lei.
Usar os con­de­na­dos mor­tos nas ru­as pa­ra fa­zer cor­po mo­le.

11) Proi­bir que me­no­res de 16 anos fa­çam bar­ba. O pro­ce­di­men­to ame­a­ça cri­ar mais um ros­ti­nho bo­ni­to pa­ra a te­le­vi­são e o ci­ne­ma.
En­fi­ar abó­bo­ras de Hal­lowe­en na ca­be­ça dos que des­cum­pri­rem a lei.
Pa­ra dar bom exem­plo, to­dos os bra­si­lei­ros de­vem bo­tar a bar­ba de mo­lho.

Se ain­da as­sim per­sis­ti­rem os sin­to­mas e nos­sas cri­an­ças con­ti­nu­a­rem bur­lan­do a le­gis­la­ção com seus pais e ven­do fil­mes não re­co­men­da­dos pa­ra su­as ida­des, su­gi­ro a cri­a­ção de uma lei que as man­de pa­ra a Chi­na ou pa­ra a Co­reia do Nor­te, on­de fi­ca­ri­am por uma tem­po­ra­da de dez anos an­tes de vol­ta­rem ao seu país, aí já fi­nal­men­te pron­tas pa­ra en­fren­tar o ur­si­nho Ted.

Sem mais, subs­cre­vo-me en­vi­an­do pro­tes­tos da mais ele­va­da es­ti­ma e con­si­de­ra­ção.

Már­cio ABC(Ado­les­cen­te, Bo­bi­nho e Cri­an­ça), seu ser­vo, ao seu dis­por.

Compartilhe