Geral

Poema: Revolução

domingo, 7 de abril de 2013 Texto de

Para onde vo­cês fo­ram,
que eu não os vejo mais?
Es­tão bem à mi­nha frente
ou logo ali atrás?

Onde es­tão seus so­nhos?
Aquele bri­lho nos olha­res
A força dos mo­la­res

Seus gri­tos de guerra
A aura de Le­nin­grado
Os pu­nhos cer­ra­dos

Onde es­tão suas bo­cas?
Aber­tas em con­fli­tos
Fe­cha­das nos afli­tos

Sua mar­cha no as­falto
A voz que não cala
A hor­telã e a bala

Onde es­tão seus pei­tos?
Ar­fando na vi­bra­ção
Cho­rando na co­mo­ção

Suas go­tas de suor
De ideias re­sis­ten­tes
De re­les pe­ni­ten­tes

Para onde vo­cês fo­ram,
que eu não os vejo mais?
Es­tão bem à mi­nha frente
ou logo ali atrás?

Me pas­sem o en­de­reço
Me di­gam onde, como
e a que preço

Ah,sim! Vejo tudo agora!
Não se­rão vo­cês
Mas eu mesmo aqui fora

Compartilhe