Impressões

Esse orgulho latino

quarta-feira, 16 de junho de 2010 Texto de

Uma quar­ta-fei­ra de sur­pre­sas na Co­pa. A vi­tó­ria da Sui­ça so­bre a Es­pa­nha foi ze­bra­ça, sem dú­vi­da. Que coi­sa, a Fú­ria! Que his­tó­ria trá­gi­ca em Co­pas do Mun­do! Es­tá cer­to que ain­da po­de­rá se re­cu­pe­rar e che­gar lá, mas é in­crí­vel a si­na dos es­pa­nhóis na prin­ci­pal com­pe­ti­ção do fu­te­bol. Quan­tas ve­zes os ca­ras já che­ga­ram com pan­ca de fa­vo­ri­tos e tu­do foi por água abai­xo?

O ou­tro mo­men­to mar­can­te do dia foi a vi­tó­ria uru­guaia so­bre os do­nos da ca­sa. E não foi uma vi­tó­ria qual­quer, prin­ci­pal­men­te nu­ma Co­pa de re­sul­ta­dos ma­gros. Os 3 a 0 mos­tra­ram que de­pois de mui­tos anos os uru­guai­os têm ca­ci­fe pa­ra che­gar às oi­ta­vas ou até às quar­tas, co­mo é o ob­je­ti­vo de­les pró­pri­os. No jo­go con­tra a Áfri­ca do Sul, a sur­pre­sa foi a pos­tu­ra da ve­lha Ce­les­te: ofen­si­va!

Um de­ta­lhe ba­ca­na pa­ra nós sul-ame­ri­ca­nos é que es­ta­mos in­vic­tos no Mun­di­al. Que eu me re­cor­de, acho que nun­ca o blo­co que re­pre­sen­ta o con­ti­nen­te co­me­çou tão bem.

Além da vi­tó­ria uru­guaia, o Chi­le tam­bém ven­ceu ho­je. Es­tá cer­to que foi mais um da­que­les pla­ca­res ma­gri­nhos, 1 x 0, mas po­de­ria ter si­do bem mais se os ata­can­tes chi­le­nos não des­per­di­ças­sem vá­ri­as chan­ces de gol.

Fo­ra es­ses dois be­los re­sul­ta­dos da ro­da­da, a Amé­ri­ca do Sul já ha­via ven­ci­do com Bra­sil (2 a 1 na Co­reia do Nor­te) e Ar­gen­ti­na (1 a 0 na Ni­gé­ria). E em­pa­ta­do com Pa­ra­guai (1x1 con­tra Itá­lia) e o pró­prio Uru­guai (0x0 con­tra a Fran­ça).

En­fim, Deus sal­ve a Amé­ri­ca do Sul (co­mo can­ta Ney Ma­to­gros­so na be­lís­si­ma com­po­si­ção de Pau­lo Ma­cha­do). E mais: “Dei­xa vi­ver es­ses cam­pos mo­lha­dos de su­or; es­se or­gu­lho la­ti­no em ca­da olhar”.

Cho­ra­dei­ra

O Par­rei­ra chi­ou bas­tan­te con­tra a ar­bi­tra­gem do jo­go Uru­guai 3 x 0 Áfri­ca do Sul. Acho o Par­rei­ra uma gran­de fi­gu­ra, um su­jei­to ex­tra­or­di­ná­rio, um gran­de téc­ni­co, mas não con­cor­do com a cho­ra­dei­ra. O ti­me de­le jo­gou uma bo­la des­te ta­ma­ni­nho. Não foi o ár­bi­tro o cul­pa­do pe­la der­ro­ta dos afri­ca­nos. O im­pe­di­men­to no lan­ce do pê­nal­ti pa­re­ce ter re­al­men­te ocor­ri­do, mas o Uru­guai jo­gou bem e a Áfri­ca do Sul não con­se­guiu achar a bo­la. Pon­to fi­nal.

Compartilhe