Crônicas, Impressões

Sir Elton John

quinta-feira, 4 de março de 2010 Texto de

Mais um ca­so pa­ra a sé­rie “Coi­sas que não sei por que ain­da não ti­nha fei­to”. Po­de pa­re­cer in­crí­vel pa­ra quem gos­ta de El­ton John, mas a ver­da­de nua e crua é que eu não ti­nha um CD de­le com a mi­to­ló­gi­ca “Sky­li­ne Pi­ge­on” (de 1969). O cu­ri­o­so é que es­ta­va vi­ran­do uma mal­di­ção.

Em to­da lo­ja que eu ia fu­çar CDs com es­sa can­ção, na­da. Es­ta se­ma­na, num pos­to de bei­ra de es­tra­da, avis­tei na pra­te­lei­ra a ca­pa de um CD de El­ton John. Bem, pen­sei, não cus­ta ten­tar. E, acre­di­tem, lá es­ta­va a mal­di­ção: li e re­li os tí­tu­los das 17 mú­si­cas que com­põem o dis­co. E na­da. Mas lá es­ta­vam “Blue Eyes”, “Go­odbye Yel­low Brick Ro­ad”, “Da­ni­el” e ou­tras ma­ra­vi­lhas eter­ni­za­das por ele. Pen­sei: vou le­var. E le­vei sem “Sky­li­ne Pi­ge­on”. Re­to­mei a vi­a­gem e, cla­ro, bo­tei o CD pra to­car. Eis que... tcham, tcham, tcham... qual é a pri­mei­ra mú­si­ca? Sim, “Sky­li­ne Pi­ge­on”!!!!

Mo­ral da his­tó­ria: es­tou mes­mo “ce­go”. Na ho­ra de com­prar o CD, eu es­ta­va sem ócu­los. Mas uma coi­sa fi­cou na mi­nha ca­be­ça: co­mo eu con­se­gui ler os tí­tu­los das ou­tras mú­si­cas? Se­ria a ve­lha mal­di­ção ain­da es­per­ne­an­do an­tes de ser ven­ci­da? Va­de re­tro!

Compartilhe