Colaboradores

Intuição

quinta-feira, 24 de setembro de 2009 Texto de

O po­e­ta es­cre­via ver­sos e mais ver­sos à ama­da. Ela des­fru­ta­va a es­té­ti­ca das com­po­si­ções, po­rém não con­se­guia emo­ci­o­nar-se. Um dia, en­con­trou um ar­te­são que lhe deu uma pe­que­na cai­xa. De­pois de en­tre­gá-la dis­se: “ Pa­ra vo­cê guar­dar os so­nhos e as lem­bran­ças bo­as”. Fi­cou sur­pre­sa com a des­co­ber­ta de que qual­quer pes­soa com sen­si­bi­li­da­de po­de fa­zer um po­e­ma sem in­ten­ção, mes­mo sim­ples ges­tos, sem pa­la­vras.

E-mail: dudu.oliva@uol.com.br

Palavras-chave

Compartilhe