Quando cai o bar­ranco
Es­ti­cada a corda, saiu um ho­mem do meio do barro. As­sus­tado, per­gun­tou as ho­ras, agra­de­ceu o res­gate, ar­ru­mou o ca­belo e foi em­bora cor­rendo. Dos ou­tros, só vi­e­ram cor­pos, sem pressa.

Al­truísmo
Ape­sar de ser fi­lho único, Mar­celo não ti­nha pro­ble­mas para re­par­tir os brin­que­dos com seus qua­tro ir­mãos.

E-mail: lbrasiliense@uol.com.br

Compartilhe