Impressões

Blablablá

domingo, 27 de julho de 2008 Texto de

Leio, re­leio, tri­leio: gente de todo tipo dis­cute o fu­turo dos jor­nais, as pers­pec­ti­vas som­brias da li­te­ra­tura, o avanço da in­ter­net.

Claro que não sou con­tra de­ba­tes que bus­quem vis­lum­brar ca­mi­nhos im­por­tan­tes para a so­ci­e­dade. Mas, cá en­tre nós, quanto bla­bla­blá!

São “es­pe­ci­a­lis­tas” chu­tando pra todo lado. Pes­qui­sas disso e da­quilo. Pre­vi­sões in­ter­mi­ná­veis.

Den­tro do pro­cesso de idi­o­ti­za­ção so­cial que atra­ves­sa­mos, é fá­cil acre­di­tar no fim do jor­nal, no fim do li­vro, no fim do pen­sa­mento, numa sel­va­ge­ria dos pri­mór­dios.

De mi­nha parte, pre­firo crer numa certa te­o­ria dos ci­clos, em que, ao ba­ter­mos no fundo, só nos res­tará vol­tar à tona. 

Compartilhe