Impressões

Teoria e frustrações

sexta-feira, 4 de julho de 2008 Texto de

A te­o­ria da evo­lu­ção – o darwi­nismo -, com­pleta 150 anos neste mês. Em 1858, eram lan­ça­dos os prin­cí­pios do que se­ria uma ver­da­deira re­vo­lu­ção no es­tudo da bi­o­lo­gia e do pró­prio ser hu­mano.

Desde en­tão, evo­lu­ci­o­nis­tas e cri­a­ci­o­nis­tas vi­vem em cons­tante em­bate nas es­qui­nas da ci­ên­cia com a re­li­gião. Re­al­mente, a opo­si­ção é sem­pre um incô­modo. Para to­dos.

Mas uma coisa é certa: se pu­de­rem nos ver, tanto o Darwin dos evo­lu­ci­o­nis­tas quanto o Deus dos cri­a­ci­o­nis­tas de­vem con­vi­ver com mui­tas frus­tra­ções.

É que a cri­a­ção não se mos­trou tão per­feita como pa­re­cia ser nas ma­ci­ei­ras do éden. Tam­pouco a trans­for­ma­ção pro­gres­siva – idéia bá­sica da se­le­ção na­tu­ral – pa­rece in­di­car que um dia nos le­vará a qual­quer pa­raíso.

Compartilhe