Geral

Vandré, 1978

segunda-feira, 4 de junho de 2012 Texto de

Van­dré con­fere um disco dele que As­sis com­prou num sebo de Pa­ris (Foto pu­bli­cada em Jornalistas&Cia)

Em se­tem­bro de 1978, Ge­raldo Van­dré con­ce­dia ao “Fo­lhe­tim”, ines­que­cí­vel su­ple­mento de cul­tura da Fo­lha de S. Paulo, uma en­tre­vista que po­de­ria, com o tempo, se tor­nar ape­nas mais uma. En­tre­tanto, o for­mato edi­to­rial ado­tado para a ma­té­ria es­crita por As­sis Ân­gelo, o modo como As­sis con­du­ziu a con­versa, o modo como As­sis se dei­xou le­var pela in­crí­vel “vi­a­gem” de Van­dré, es­ses as­pec­tos tor­na­ram a re­por­ta­gem an­to­ló­gica.

O texto está na se­gunda edi­ção de “Jornalistas&Cia Me­mó­ria da Cul­tura Po­pu­lar”, dis­tri­buído para as­si­nan­tes. Eu pedi e re­cebi au­to­ri­za­ção para dei­xar aqui o link aos in­te­res­sa­dos em ler essa pre­ci­o­si­dade his­tó­rica. Não ape­nas por en­vol­ver o mito Van­dré. Mas tam­bém por re­ve­lar uma ex­ce­lente li­ção de jor­na­lismo. Uma en­tre­vista que foge com­ple­ta­mente à mes­mice que mui­tas ve­zes nos in­co­moda nos dias atu­ais.

É tam­bém uma pe­quena mos­tra da qua­li­dade do con­teúdo pro­du­zido por “Jornalistas&Cia”. Vale a pena as­si­nar esse im­por­tante veí­culo da co­mu­ni­ca­ção bra­si­leira.

Para aces­sar, cli­que aqui

Compartilhe