Geral

O professor Paulo Sérgio

segunda-feira, 7 de maio de 2012 Texto de

Pau­lo Sér­gio en­tre­vis­ta Pe­lé no co­me­ci­nho da car­rei­ra do rei (Fo­to do ar­qui­vo do pro­fes­sor João Fran­cis­co Ti­dei de Li­ma)

En­con­trei Pau­lo Sér­gio Si­mo­net­ti num res­tau­ran­te após o al­mo­ço. Pa­po rá­pi­do na ho­ra de pa­gar a con­ta. A 94 FM fez 34 anos por es­tes di­as. Eu dei meus pa­ra­béns etc e tal. Mas o que eu que­ria mes­mo di­zer ao Pau­lo Sér­gio é que eu sem­pre o ad­mi­rei.

Eu o co­nhe­ci no iní­cio da dé­ca­da de 1980, quan­do ele foi meu pro­fes­sor. Ain­da es­tá­va­mos na Fun­da­ção Edu­ca­ci­o­nal de Bau­ru, que de­pois se­ria Uni­ver­si­da­de de Bau­ru an­tes de se trans­for­mar na atu­al Unesp.

Fa­zía­mos la­bo­ra­tó­rio de rá­dio na au­la de­le. E eu, que nun­ca ti­ve um tim­bre de­cen­te, me sen­tia um fran­gui­nho es­tro­pi­a­do per­to da­que­la voz mar­can­te, uma das mais bo­ni­tas que co­nhe­ço.

Me lem­bro que cer­to dia ele me cha­mou de la­do e me per­gun­tou se eu tra­ba­lha­va em rá­dio. É que tí­nha­mos fei­to um exer­cí­cio e ele ha­via gos­ta­do da mi­nha per­for­man­ce. En­fim, me sen­ti sa­tis­fei­to co­mi­go mes­mo na­que­le dia. Por­que, em­bo­ra eu te­nha tra­ba­lha­do qua­se sem­pre no jor­na­lis­mo im­pres­so, meu so­nho na épo­ca era ser lo­cu­tor es­por­ti­vo. Mas,claro, só eu sa­bia dis­so.

O Pau­lo Sér­gio era um se­nhor lo­cu­tor es­por­ti­vo.

No Al­tas Ho­ras de sá­ba­do pas­sa­do, ou­vi um tre­cho da par­ti­ci­pa­ção do jor­na­lis­ta Ge­ne­ton Mo­ra­es Ne­to. Ge­ne­ton deu um con­se­lho aos es­tu­dan­tes ou mes­mo aos pro­fis­si­o­nais que es­tão co­me­çan­do ago­ra: de­ve­mos ter sem­pre uma me­ta cla­ra em nos­sa pro­fis­são, qual­quer que se­ja o tra­ba­lho. De­ve­mos nos ape­gar a um fo­co que pos­sa nos man­ter nu­ma cons­tan­te bus­ca por um ob­je­ti­vo que con­si­de­ra­mos ade­qua­do. Ele, por exem­plo, diz ter fo­ca­do sua car­rei­ra jor­na­lís­ti­ca na cons­tru­ção de uma me­mó­ria.

Acho que o Pau­lo Sér­gio se­guiu um ca­mi­nho se­me­lhan­te em re­la­ção a fo­car o tra­ba­lho num de­ter­mi­na­do ob­je­ti­vo. E por is­so con­quis­tou o res­pei­to e a ad­mi­ra­ção no meio on­de atua e prin­ci­pal­men­te en­tre seus ou­vin­tes. Não sei se foi seu prin­ci­pal ob­je­ti­vo, mas o Pau­lo Sér­gio con­se­guiu se tor­nar um dos gran­des no­mes do rá­dio bra­si­lei­ro.

E por is­so é sem­pre um pra­zer vê-lo bem, co­mo eu o vi ho­je. O rá­dio, a im­pren­sa e o pú­bli­co agra­de­cem. Eu tam­bém.


Pau­lo Sér­gio no es­tú­dio da 94 FM (Es­ta eu to­mei “em­pres­ta­da” no pró­prio si­te da 94)

Compartilhe