Chico Pe­dreira deu um tiro no vi­zi­nho. O ho­mem foi caindo, quase em câmera-lenta, olho es­bu­ga­lhado no Chico e da boca es­cor­rendo san­gue. Na ja­nela, gri­tava a Ma­ri­a­zi­nha, mu­lher do Chico e causa do crime. A po­lí­cia che­gou na hora e logo al­ge­mou o as­sas­sino, em meio aos pran­tos da mu­lher. No rosto do vi­zi­nho morto um sor­riso: va­lia a pena mor­rer por Ma­ri­a­zi­nha.

Compartilhe