Colaboradores

vazio - Texto de Thiago Roque

quarta-feira, 22 de agosto de 2007 Texto de

o va­zio co­me­ça pe­que­no, do ta­ma­nho do um­bi­go, sa­be?
lem­bra aque­les res­fri­a­dos mal­cu­ra­dos. cê sen­te, mas sa­be que vai pas­sar lo­go.
de re­pen­te, vi­ra uma pneu­mo­nia de au­sên­cia.
fal­ta o chão, que tan­tas ve­zes re­ce­beu teus pés e lhe ofe­re­ceu um ca­mi­nho pa­ra tri­lhar.
fal­ta o céu, um ho­ri­zon­te de pos­si­bi­li­da­des res­pon­sá­vel por fa­zer dos nos­sos so­nhos os ob­je­ti­vos do ins­pi­re-ex­pi­re-de-ca­da-dia-nos-dai-ho­je.
fal­ta o om­bro, se­ja pra cho­rar ou mes­mo pa­ra co­chi­lar se­gu­ro.
fal­ta a mão, se­ja pa­ra o au­xí­lio ou pa­ra um ca­fu­né num fi­nal de noi­te.
fal­ta aque­le frio na bar­ri­ga gos­to­so, que mos­tra o quão es­ta­mos vi­vos e dis­pos­tos a ar­ris­car.
fal­ta aque­le sor­ri­so de la­do, sem-jei­to, to­do gos­to­so, de que­ro-mais.
fal­ta luz pra ce­gar de pai­xão, fal­ta fo­go pra quei­mar de te­são, fal­ta juí­zo pa­ra po­der dei­xar de la­do.
de re­pen­te, tu­do é um va­zio só.
oco. feio. cha­to.
não tem na­da mais tris­te do que a gen­te sem a gen­te den­tro.

E-mail: roque.thiago@hotmail.com

Compartilhe