Contos

Miniconto - Praça pública

quarta-feira, 18 de agosto de 2010 Texto de

De­bai­xo de um sol es­cal­dan­te, as tro­pas reu­ni­ram-se na gran­de pra­ça. Os ca­va­los sa­pa­te­a­vam. O me­ga­fo­ne emi­tia sons inau­dí­veis e ame­a­ça­do­res. Dos sol­da­dos in­qui­e­tos es­cor­ri­am re­gos de su­or. As por­tas do co­mér­cio eram fe­cha­das às pres­sas. No can­tei­ro cen­tral, uma ca­cho­ei­ra de água fres­ca bro­ta­va em meio a se­rei­as de fer­ro plan­ta­das na fon­te. Do ou­tro la­do, os ma­ni­fes­tan­tes gri­ta­vam pa­la­vras in­com­pre­en­sí­veis. En­tre eles, se­pa­ran­do os ex­tre­mos ex­tre­ma­dos, os pom­bos co­mi­am mi­ga­lhas. E três me­ni­nos po­bre­zi­nhos pe­la­dos re­fres­ca­vam-se e ex­ci­ta­vam-se en­co­chan­do as se­rei­as e em­pi­nan­do seus pin­ti­nhos cu­ri­o­sos e afo­ba­dos.

Compartilhe