Impressões

Abacaxi

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010 Texto de

Quero fa­zer jus­tiça a ele. O termo “aba­caxi” para de­sig­nar um pro­blema é um des­res­peito à fruta. Aba­caxi é bom de­mais. Tem gente que acha seu sa­bor com aci­dez exa­ge­rada. Al­gu­mas fru­tas tra­zem uma parte com o aze­dume de­se­qui­li­brado, é ver­dade. Mas no con­junto, trata-se de uma fruta de per­so­na­li­dade. Não é, por exem­plo, uma ba­nana. Uma ba­nana, e tam­bém uma maçã, você come sem sur­pre­sas. São fru­tas pa­ci­en­tes, que se per­mi­tem mor­di­das e mas­ti­ga­ções de modo sub­misso. Chega a ser ir­ri­tante. O aba­caxi, não. O aba­caxi re­age. Re­luta. Avisa que com ele não tem vida fá­cil, desde ser des­cas­cado até ser en­go­lido.

Já ouvi vá­rias ver­sões so­bre as qua­li­da­des do aba­caxi. Uma de­las é que ele não tem qua­li­dade. Diz que não serve pra nada. Que ab­surdo! Tam­bém já me dis­se­ram que a única coisa que se apro­veita dele é o “osso”. Logo o osso, que todo mundo joga fora. Eu, de­pois dessa, pas­sei a comê-lo tam­bém, desde que não seja muito duro. Ou­tra in­for­ma­ção que ob­tive: o aba­caxi faz bem para o sê­men; au­menta a quan­ti­dade e me­lhora a co­lo­ra­ção, o vi­sual (ahahahahahah).

A ver­dade é que eu como por um sim­ples mo­tivo: gosto de fru­tas for­tes. É mais ou me­nos como aquele caso do su­jeito que chega numa roda e ouve as pes­soas co­men­ta­rem so­bre as pro­pri­e­da­des de certa cer­veja. Um diz: “eu gosto de to­mar por­que ela é en­cor­pada”. O ou­tro: “a ce­vada se faz sen­tir”. Ou­tro mais: “ela me traz uma nos­tal­gia de tem­pos bons”. E, por fim, o su­jeito: “eu gosto por­que ela me dá uma zon­zu­ri­nha gos­tosa” (ahahahhahah).

Ou­tro aba­caxi

Na época em que eu mo­rava no sí­tio (onde nasci e fi­quei até os 7 anos de idade, e de­pois ainda con­ti­nuei a con­vi­ver por um bom tempo), meu pai e meus tios des­cas­ca­vam o aba­caxi na roça, co­lhido na hora em meio às ruas de café. Mesmo quente (mor­ni­nho, vá lá), nada me­lhor do que um aba­caxi co­mido ali, no mo­mento em que é apa­nhado. Mais uma prova do va­lor dessa fruta sa­bo­ro­sís­sima. Tente chu­par uma la­ranja que não es­teja ao me­nos fresca. Tente chu­par ou­tras fru­tas. O aba­caxi su­pera fa­cil­mente esse obs­tá­culo. É como a Coca-cola e o gua­raná. A Coca ge­la­dís­sima é in­com­pa­rá­vel, idí­lica eu di­ria. Mas vá tomá-la sem es­tar ge­lada. O mesmo já não acon­tece com o gua­raná. Gua­raná dá pra be­ber até quente. E não tem nem zon­zu­ri­nha.

Compartilhe