Sem li­mi­tes

Dona Ruth, 78 anos e há doze na ca­deira de ro­das, passa as tar­des no quin­tal, de­baixo das ár­vo­res, ma­tando pas­sa­ri­nhos com um es­ti­lin­gue. De noite, so­nhando, caça ele­fan­tes.

Ir­re­ver­sí­vel

De­zes­sete dias. A es­pera sem fim os fez eter­ni­da­des. No dé­cimo oi­tavo ele vol­tou. Seu re­trato está de novo em cima da pen­te­a­deira. Guardo na úl­tima ga­veta de­zes­sete do­res eter­nas.

E-mail: lbrasiliense@uol.com.br

Compartilhe