Impressões

Faca cravada no peito

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010 Texto de

A sau­dade é uma faca cra­vada no peito em cujo fio der­ra­ma­mos o mais in­vo­lun­tá­rio dos san­gues. Não é nada que pos­sa­mos pro­gra­mar. Evi­tar. Am­pliar. Ou re­du­zir. Ou dis­far­çar. Quando essa faca se mexe, san­gra­mos. Neste co­meço de ja­neiro, so­zi­nho e dis­tante, sinto sau­da­des de tudo (como disse Fer­nanda Mon­te­ne­gro em “Cen­tral do Bra­sil”).

Compartilhe